Alexanialexy_____________city’s Weblog

maio 16, 2008

Workshops FZ Audio em Recife _ Confirmando _ Luizinho Ref

Filed under: Sem-categoria — AlexâniAlexy___City Vlogcasting TV. @ 8:17 pm

Workshop FZ Audio em Recife!

no Orkut

MW Studio

Nos dias 3, 4 e 5 de junho/2008, a FZ Audio realizará workshops aqui em Recife!

Local: Teatro BRUM, Centro de Convenções de PE – Av. Professor Andrade Bezerra, s/n, Salgadinho | Olinda – PE, Brasil | CEP: 53111-970

Os workshops terão dois horários diários – 9:00 e 14:00hs.

Sumário dos temas a serem abordados:

1- Line array – um pouco de teoria, quais as diferenças de vários tipos de desenhos.
2- DSPs e caixas amplificadas, vantagens e exemplos práticos
3- Sistemas de controle de caixas – Fzware
4- Software de medição em tempo real – Systune
5- Colunas – aplicações práticas.

 

Músico, registro OMB-PE 3867, desde 1977.

Autodidata em áudio, PA e estúdios, com várias formações paralelas

(informática, telecom, redes estruturadas voz/dados).

Membro da Audio Engineering Society (AES) no. 56232 e ABPAudio 2040697.

Atendo serviços de consultoria eletro-acústica via web para todo o Brasil.

 

 

Veja Também:

UPTOWN BLUES BAND  no MySpace:

www.myspace.com/uptownbluesband

http://www.myspace.com/uptownbluesband

Abiertas las inscripciones Becas AVINA de Periodismo (2008-2009)

Filed under: Sem-categoria — AlexâniAlexy___City Vlogcasting TV. @ 7:47 pm

AVINA

http://www.avina.net

 

Ya están abiertas las inscripciones para la segunda convocatoria de las Becas AVINA de Investigación Periodística para el Desarrollo Sostenible, proyecto de la Fundación AVINA que tiene como objetivo cooperar con los medios de comunicación y los profesionales de la prensa para la producción de investigaciones acerca de temas relevantes en la búsqueda de modelos sostenibles de desarrollo en América Latina. ¡Inscríbase!

Son 6 categorías y temas:

Categoría: EQUIDAD/Tema: Inclusión Social
Categoría: GOBERNABILIDAD DEMOCRÁTICA/Tema: Transparencia
Categoría: GESTIÓN DE RECURSOS NATURALES/Tema: Cambio Climático
Categoría: DESARROLLO ECONÓMICO SOSTENIBLE/Tema: Negocios Inclusivos
Categoría: AMERICA LATINA/Tema: Integración
Categoría: ARTE Y SOCIEDAD/Tema: Educación(*)

(*) En Alianza con Daros Latinamerica (Daros Latinamerica es una colección de arte contemporánea con sede en Zurich, Suiza, que está implemetando el proyecto Casa Daros en Río de Janeiro, una plataforma de difusión y apreciación de las artes contemporáneas en general y de América Latina en particular, teniendo como focos principales el arte, la educación y la comunicación

Inscríbase en este link

Los valores para cada beca, por tipo de medio, son:
6 mil dólares para TV, y 4 mil dólares para periódicos, revistas, internet, radio y agencias de prensa. El total de los incentivos finanacieros es de 250 mil dólares. Esperamos ofrecer más de 50 becas!

¿Quiénes pueden postular a una Beca?
Serán elegibles propuestas presentadas por reporteros, reporteros gráficos, periodistas freelancers, editores, jefes de redacción o editores ejecutivos. Se aceptarán trabajos de periodistas que trabajen o colaboren con empresas de medios informativos y agencias de noticias latinoamericanos o extranjeros. En todos los casos la propuesta debe tener como foco geográfico principal América Latina

¿Cómo postularse ?
La información relacionada a las condiciones y procedimientos se encuentra en la página web de AVINA: www.avina.net. El cierre de la convocatoria es el martes 1 de julio. ¡No deje su postulación para última hora, pues el formulario de inscripción exige algún tiempo de planificación!

AVINA y Organizaciones apoyadoras

Becas AVINA de Investigación Periodística cuenta con el apoyo institucional de la Fundación Nuevo Periodismo Iberoamericano (FNPI), Asociación de Periodistas Europeos (APE), Foro de Periodismo Argentino (Fopea), Sociedad Interamericana de Prensa (SIP), Asociación Brasilera de Periodismo Investigativo (Abraji), Instituto Prensa y Sociedad (Ipys), Agencia de Noticias por los Derechos de la Infancia (ANDI), Communication Initiative América Latina (CILA), Alianza de Comunicadores para el Desarrollo Sostenible (ComPlus), Reporters d´espoirs y Knight Center for Journalism in the Americas.

AVINA tiene como misión asociarse con líderes de la sociedad civil y del empresariado en sus iniciativas para el desarrollo sostenible en América Latina

 

Para más información escribir a: becas@avina.net

 

 

Sugerencias o comentarios

sixto raul gonzalez (06/05/2008 09:32:48)
deseo realizar un trabajo de investigacion periodistica grafica sobre el aislamiento de comunidades campesinas por falta de caminos y estos en mal estado

 

Itaú Cultural _ Rumos Artes Visuais 2008-2009 _ Rumos Educação, Cultura e Arte 2008-2010

Filed under: Sem-categoria — AlexâniAlexy___City Vlogcasting TV. @ 3:01 pm

Itaú Cultural

 

http://www.itaucultural.org.br/

 

 

 

 

 

Rumos Itaú Cultural Artes Visuais

 

Regulamento 2008-2009

 

 

1. Objetivo 

 

O programa Rumos Itaú Cultural Artes Visuais tem por objetivo incentivar artistas emergentes, atuantes no

Brasil, que realizem trabalhos com fotografia, escultura, objeto, pintura, gravura, desenho, instalação,

videoinstalação, site specific, intervenção, novas tecnologias e performance; observando como critérios de

seleção a qualidade das obras apresentadas e sua consonância entre regionalidade e contemporaneidade.

 

Além de investigar o momento atual dessa produção, o programa propicia aos contemplados oportunidade

de aprimoramento profissional por meio de ações de  formação, tais como concessão de bolsas de estudo,

participação em palestras e ações  de difusão, como exposições e divulgação em mídia, entre outros;

contribuindo com um olhar artístico mais abrangente, sensível à diversidade de linguagens que integram o

panorama artístico do país.

 

Também integram o programa as ações de pesquisa, documentação, reflexão e divulgação da produção visual

contemporânea brasileira – tanto na forma de publicações específicas e no registro do resultado em banco de

dados, atualizado a cada edição, quanto na realização de exposições itinerantes que estabelecem um

intercâmbio entre as diversas realidades regionais.

 

2. Pré-Requisitos 

 

São pressupostos necessários ao candidato que queira participar do programa Rumos Artes Visuais:

a)  Ser artista atuante no Brasil;

b)  Ter iniciado sua trajetória profissional a partir de 1990, o que será caracterizado por participação em

exposições no Brasil e/ou exterior, coletivas e/ou individuais, nesse período.

 

A inscrição de candidatos que não se enquadram no perfil será considerada inválida. 

 

3. Impedimentos

 

É vedada a participação de funcionários e estagiários do Itaú Cultural e seus cônjuges, companheiros, parentes

até terceiro grau, afins e dependentes. 

 

Ex-funcionários e ex-estagiários poderão se inscrever somente se estiverem desligados da instituição há, no

mínimo, três meses da data de publicação deste Regulamento, a saber: 4 de março de 2008.  

 

É vedada a inscrição de cônjuges, companheiros, parentes até o terceiro grau, inclusive afins e dependentes,

ligados aos membros da Comissão Curatorial.

 

Artistas contemplados com exposições nos programas anteriores Rumos Itaú Cultural 2001-2002 e 2005-2006

também estão impedidos de participar da seleção.

 

A inscrição de pessoas impedidas será considerada inválida.   

 

 

 

 

4. Inscrição

 

4.1 A inscrição é gratuita, restrita a pessoas físicas, sem limitação etária, e destinada a artistas (item 2 deste

regulamento), com formação diversa, que sejam brasileiros – natos ou naturalizados – ou estrangeiros com

residência fixa no Brasil há mais de dois anos. 

 

4.2 O período de inscrição vai de 4 de março a 10 de junho de 2008. 

 

4.3 O candidato poderá inscrever-se individualmente ou como parte integrante de coletivo, porém, somente

uma única vez lhe é permitido inscrever-se. Identificada a presença de um mesmo artista em mais de uma

inscrição, sua inscrição será invalidada.

 

Na hipótese de inscrição de coletivos, apenas um membro deverá constar como responsável – preenchendo a

ficha de inscrição como proponente. Os nomes dos demais integrantes do coletivo também deverão constar

na ficha, mas no campo indicado aos participantes.

 

Caso o grupo seja selecionado, tanto o proponente quanto os participantes deverão firmar os termos de

licenciamento previstos no item 9 deste regulamento, bem como apresentar a documentação solicitada.

 

Na eventualidade de o candidato ser menor de 16 anos, a inscrição e os demais termos contratuais deverão ser

assinados pelo(s) representante(s) legal(is). Os maiores de 16 anos e menores de 18 anos poderão assinar os

termos contratuais individualmente somente quando emancipados – caso contrário, deverão assinar em

conjunto com seu(s) representante(s) legal(is).

 

4.4 O candidato poderá incluir quantas obras desejar em sua inscrição, mas as obras inscritas deverão ter

sido produzidas a partir de 2005 – poderão estar concluídas ou ser apresentadas na forma de projeto.

O conjunto das obras inscritas se constituirá no portfólio para seleção.

 

4.5 O candidato deverá obrigatoriamente responder à pesquisa existente ao final do regulamento para ter sua

inscrição validada. Em caso de regulamento impresso, a pesquisa deverá ser destacada e enviada com os

demais materiais solicitados neste regulamento. Para os que efetuarem sua inscrição via internet, a pesquisa

deverá ser respondida após o preenchimento da ficha de inscrição para validá-la. A pesquisa não será

considerada para efeito de classificação e seleção e tem por objetivo mapear a cena artística do país.

 

5. Forma de participação

5.1 A ficha de inscrição poderá ser obtida:

a)  Na sede do Itaú Cultural em São Paulo, no endereço indicado a seguir.

b)  Em instituições parceiras e conveniadas pelo Brasil, a ser divulgadas no site do Itaú

Cultural.

c)  Pela internet, no site do Itaú Cultural, acessado pelo endereço http://www.itaucultural.org.br. 

Aos que utilizarem a ficha de inscrição via internet:

Ao acessar o site, o interessado encontrará a ficha de inscrição, que deverá ser integralmente preenchida.

 

Concluído o preenchimento do formulário, será processada a inscrição e gerado um número de inscrição, de

uso obrigatório para remessa pelo correio dos materiais exigidos neste regulamento.

 

 

 

 

 

Aos que utilizarem a ficha impressa:

Os candidatos receberão um número de inscrição e a confirmação de sua participação na seleção por e-mail

após o recebimento pelo Itaú Cultural da ficha de inscrição e dos materiais solicitados a seguir

remetidos pelo correio.

 

5.2 Para participar da seleção do programa Rumos Artes Visuais, o candidato deverá obrigatoriamente enviar

ao Itaú Cultural todos estes materiais relacionados:

 

a)  Ficha de inscrição integral e devidamente preenchida pelo artista responsável pela inscrição –

unicamente para os que não se inscreveram pela internet. 

b)  No mínimo 10 e no máximo 15 cópias fotográficas coloridas – tamanho 12 x 18 centímetros –

das obras inscritas para seleção (portfólio), ou imagens impressas dessas obras, fixadas em papel

sulfite ou ofício.

c)  Ficha técnica das obras, cópias fotográficas coloridas ou as imagens impressas com as seguintes

informações: 

  Nome civil e artístico do(s) autor(es)

  Nome do coletivo, quando existente

  Título das obras 

  Técnica/material utilizado

  Dimensões precisas das obras

  Ano de realização

d)  Descritivo das obras inscritas, caso sejam necessárias informações adicionais.

e)  Currículo do candidato responsável pela inscrição, com seu nome civil e artístico, local e data de

nascimento, formação acadêmica e exposições em que participou, ou currículo do coletivo.

f)  Planilha de previsão orçamentária, caso as obras inscritas necessitem de produção (orçamento

sujeito a análise e aprovação do Itaú Cultural).

g)  Descritivo de projeto, imprescindível  unicamente quando as obras inscritas se tratarem de

propostas de instalação, videoinstalação, site specific e performance, contendo:

  Conceito das obras

  Esboço/croqui

  Memorial descritivo com as especificações corretas e detalhadas do espaço a ser ocupado

[dimensão, altura, número de paredes – planta baixa]

  Indicação correta e detalhada do número exato de materiais e equipamentos

  Anotação dos procedimentos da montagem

  Planilha de previsão orçamentária caso as obras necessitem de produção 

h)  Vídeo e/ou DVD, unicamente para trabalhos inscritos em linguagem audiovisual.

 

5.3 Remessa dos materiais

 

Todos os materiais solicitados neste regulamento devem ser remetidos pelo correio – como correspondência

registrada (ou Sedex) e Aviso de Recebimento (AR) – para o endereço abaixo:

 

INSTITUTO ITAÚ CULTURAL 

A/C Rumos Itaú Cultural Artes Visuais 2008-2009

Av. Paulista, 149 6º andar

Cerqueira César 01311-000

São Paulo – SP

 

 

A correspondência deverá estar identificada – de modo visível – com o nome do candidato, ou do proponente

(no caso de inscrição de coletivos), e seu número de inscrição (para inscrição efetuada pela internet).

A data limite de postagem é 10 de junho de 2008. Não serão aceitas correspondências postadas após essa

data. Também não serão admitidos materiais ou correspondências enviados pela internet ou entregues

diretamente na sede do Itaú Cultural.

5.4 Observações importantes:

a)  Os materiais enviados para inscrição não serão em nenhuma hipótese devolvidos. 

b)  A produção das obras é de responsabilidade do artista. Em caso de seleção, o Itaú Cultural analisará a

planilha orçamentária enviada e poderá, a seu exclusivo critério, atendê-la, recusá-la ou alterá-la.

c)  A ausência de qualquer material solicitado neste regulamento desclassifica o candidato.

 

6. Seleção

 

A escolha dos artistas e/ou coletivos que serão contemplados pelo programa Rumos Artes Visuais será de

responsabilidade exclusiva da Comissão Curatorial, que será composta de cinco profissionais de reconhecida

atuação na área artística e notório saber.

 

O processo de seleção será realizado em duas etapas durante o mês de julho, períodos nos quais a Comissão

Curatorial se reunirá para avaliação das obras inscritas.

 

A Comissão selecionará os trabalhos a seu exclusivo critério observando, em especial, a qualidade das

obras apresentadas e sua consonância entre regionalidade e contemporaneidade, entre outros

aspectos que entenda aplicáveis. Também serão levados em consideração nas avaliações os requisitos

previstos neste regulamento.

 

Concluídas as duas etapas, a Comissão Curatorial selecionará até  45 portfólios. Serão considerados

contemplados os artistas e/ou coletivos: nessa hipótese, incluindo  todos os integrantes  que tenham seus

respectivos portfólios selecionados.

 

A Comissão de Seleção é independente e suas decisões serão soberanas, não sendo passíveis de

questionamentos e recursos.

 

7. Divulgação dos resultados

 

O resultado será comunicado aos contemplados por e-mail ou correspondência até a primeira semana

de agosto.

 

Após essa data, a lista dos selecionados também será divulgada pela imprensa e pela internet no site do Itaú

Cultural –  http://www.itaucultural.org.br.

 

Por ocasião da divulgação dos resultados, os selecionados serão informados das condições para sua

participação no programa.

 

 

 

 

 

8. Contemplados 

 

Para os contemplados no Programa Rumos Artes Visuais 2008-2009 o Itaú Cultural organizará em sua sede, em

São Paulo, uma exposição coletiva, prevista para 2009, em que serão exibidas as obras de todos os artistas e/ou

grupos selecionados, assegurando ampla divulgação do evento nas mídias impressa e eletrônica.

 

O Itaú Cultural também oferecerá retirada, transporte e seguro das obras escolhidas para participar da

exposição Rumos Artes Visuais, quando de sua montagem em São Paulo, arcando com os respectivos custos da

operação.

 

Os contemplados terão ainda seus dados artísticos, curriculares e biográficos inseridos e divulgados nos

catálogos e nas peças gráficas produzidos em decorrência do programa Rumos e da exposição Rumos Artes

Visuais.

 

Os dados dos selecionados, seus currículos, verbetes biográficos e imagens de  suas obras também serão

divulgados em http://www.itaucultural.org.br e em veículos das mídias impressa e eletrônica.

  

As obras contempladas poderão ser apresentadas em exposições fora da cidade de São Paulo. Nessa hipótese,

participarão somente as obras que tenham consonância com o recorte curatorial estabelecido para a

itinerância, de acordo com o mapeamento regional que  será realizado por curadores contratados pelo Itaú

Cultural.

 

Haverá também a possibilidade de produção pelo Itaú Cultural de um catálogo geral analítico com a reunião

dos textos críticos, verbetes biográfico-curriculares e obras selecionadas dos artistas ou coletivos com outros

textos que venham a ser produzidos para o programa.

 

Na vigência da edição 2008-2009 do programa, até quatro contemplados – que obtiverem destaque

profissional diferenciado, segundo os critérios de avaliação da equipe curatorial – poderão ser agraciados com

bolsas de estudo para seu aprimoramento.

 

Ao selecionado não é permitido indicar outra pessoa para substituí-lo, assim como pretender que seja

contemplado de forma diversa da prevista neste regulamento, como, por exemplo, receber valores em

espécie.

 

9. Montagem

 

A produção da exposição  Rumos Artes Visuais, assim como suas eventuais itinerâncias regionais, será de

exclusiva responsabilidade da equipe Itaú Cultural e dos curadores contratados, cabendo a estes elaborar o

plano de montagem, distribuição e adequação das obras selecionadas nos espaços  expositivos, decidindo,

inclusive, sobre a necessidade (ou não) da presença dos artistas quando da instalação de suas obras.

 

As exposições serão organizadas por equipes especializadas. As obras em suportes não tradicionais serão

instaladas de acordo com os projetos ou indicações fornecidas pelos artistas.

 

Não necessariamente todas as obras apresentadas pelo selecionado em sua inscrição estarão na exposição.

Caberá exclusivamente à equipe curatorial do Itaú Cultural decidir quais – entre as obras inscritas pelo

selecionado – irão integrar a exposição.

 

 

 

 

Caso uma ou algumas das obras do selecionado não sejam incluídas na exposição, nada caberá ao selecionado

pleitear ou reclamar.

 

Trabalhos que exijam salas, instalações e montagens especiais só serão exibidos em espaços que tenham

disponibilidade técnica e física.

 

Na hipótese de itinerâncias, participarão somente as obras que tenham consonância com o recorte curatorial

estabelecido para a itinerância, de acordo com o mapeamento regional que será realizado por curadores

contratados pelo Itaú Cultural.

 

Os casos omissos serão resolvidos pela equipe  curatorial do programa Rumos Artes Visuais e por

representantes do Itaú Cultural.

 

10. Deveres dos selecionados

 

Todo e qualquer inscrito – caso selecionado – fica ciente de seu compromisso perante o Itaú Cultural em

atender a certos requisitos formais para sua participação no programa Rumos Artes Visuais, descritos neste

item e necessários para que o instituto possa empreender todas as ações previstas no programa. Por isso,

solicitamos a leitura atenta deste item.

 

Todos os  contemplados – artistas ou coletivos (incluindo todos os seus integrantes) – para confirmar sua

participação no programa Rumos Artes Visuais deverão apresentar ao Itaú Cultural os seguintes documentos:

a)  Cópias simples de seus documentos pessoais (CPF e RG).

b)  Currículo completo e atualizado.

c)  Fichas técnicas das obras selecionadas.

d)  Reprodução fotográfica colorida de boa qualidade, tamanho 12 x 18 centímetros, e/ou arquivo digital

das obras selecionadas para exposição, com indicação do autor das fotografias (em virtude da

autorização de uso das imagens para divulgação do programa Rumos na mídia).

e)  Fornecimento de equipamentos especiais eventualmente necessários à apresentação das obras, com

orientação e apoio logístico à operacionalização e à manutenção.

f)  Apresentação de memorial descritivo em caso de montagem especial no espaço expositivo.

g)  Previsão orçamentária, quando existente.

 

Os documentos deverão ser apresentados num prazo máximo de 15 dias, a contar do contato efetuado pela

equipe do Itaú Cultural, através de telefone, e-mail ou correspondência, sob pena de inviabilizar a participação

no programa Rumos Artes Visuais.

 

O instituto poderá divulgar todas as etapas do programa através de qualquer mídia, inclusive internet.

 

O contemplado (incluindo todos os participantes quando coletivos) autoriza o Itaú Cultural, a partir do

momento em que seja informado de sua seleção, a registrar e utilizar sua imagem na mídia impressa, na

internet e em materiais institucionais, exclusivamente para divulgação do programa Rumos Artes Visuais e de

seus contemplados, podendo o instituto, inclusive, autorizar que terceiros utilizem as imagens para a mesma

finalidade. Autoriza também a exibição de seus currículos na internet e em materiais de divulgação. A

utilização ora prevista não tem limitação temporal ou numérica e é válida para o Brasil e o exterior, sem que

seja devida nenhuma remuneração a esse título.

O contemplado (incluindo todos os participantes quando coletivos) também se compromete a assinar a

Licença de Direitos Autorais para utilização pelo Itaú Cultural das obras selecionadas para determinadas

 

 

 

 

modalidades de uso, tais como exibição pública das obras e uso dos registros (imagens, sempre no âmbito do

programa Rumos Itaú Cultural), bem como a Autorização de Uso de Sua Imagem e Voz, de forma gratuita e por

tempo ilimitado.

A discordância do selecionado em firmar quaisquer dos  termos jurídicos referidos acarretará sua automática

desqualificação como contemplado e, portanto, inviabilizará sua participação no programa Rumos Artes

Visuais.

 

11. Declarações

 

Ao se inscrever, o candidato assume a inexistência de plágio nas obras inscritas, bem como assegura a

inexistência de uso indevido ou não-autorizado de obras de terceiros, assumindo integralmente a autoria e

respondendo exclusivamente por eventuais acusações ou pleitos nesse sentido.

 

O candidato contemplado será responsabilizado por danos e/ou reclamações sofridos pelo Itaú Cultural, de

forma exclusiva e integral, caso haja omissão de quaisquer informações pertinentes a titulares de direitos de

autor ou propriedade, além de ser desclassificado do programa nessas hipóteses.

 

Ao inscrever-se, o candidato também atesta que as  obras inscritas são de sua propriedade e aptas a ser

disponibilizadas ao Itaú Cultural para integrar exposições e decorrentes itinerâncias, caso venha a ser

selecionado, assumindo, inclusive, o dever de assegurar que as obras estejam disponíveis ao Itaú Cultural

a partir de janeiro de 2009 e por todo o período de vigência da edição do programa (2008-2009),

independentemente de eventual venda, comodato ou doação feito pelo artista, das obras inscritas, a terceiros.

 

As obras escolhidas para participar da exposição  Rumos Artes Visuais não poderão ser alteradas ou retiradas

antes do encerramento do evento e das itinerâncias que venham eventualmente a integrar.

 

12. Outras informações

 

Durante o período de inscrição previsto neste regulamento, o Itaú Cultural promoverá gratuitamente palestras

temáticas abertas ao público e realizará posteriormente cursos presenciais  e workshops em diversas

localidades do país, conforme a itinerância das mostras  expositivas, responsabilizando-se pela divulgação

desses eventos nos meios de comunicação no período de sua ocorrência. 

 

O instituto não se responsabiliza pelo recebimento de materiais originais ou exemplares únicos.

 

Os selecionados se comprometem a não divulgar informações, pormenores ou materiais sigilosos a que

venham eventualmente a ter acesso em decorrência da participação no programa.

 

Questões não-previstas no presente regulamento serão avaliadas e decididas sob exclusivo critério da

Comissão do Rumos Itaú Cultural.

 

O ato de inscrição implica automática e plena concordância com os termos deste regulamento.

 

Quaisquer dúvidas podem ser esclarecidas pelo site http://www.itaucultural.org.br ou pelo e-mail

rumosartesvisuais@itaucultural.org.br.

 

 

Regulamento 2008-2010

A arte e a cultura no contexto da educação não-formal

Cotidianamente, em todo o país, educadores atuam  junto aos mais diversos públicos na promoção de atividades de formação em

diferentes campos e criam situações em que a participação do educando é essencial. Esses educadores são proissionais de várias áreas

que partilham suas experiências e conhecimentos fora do espaço escolar, possibilitando a ampliação dos universos social, cultural e

econômico dos envolvidos.

As atividades  realizadas  fora do espaço escolar, estruturadas e organizadas para diferentes  tipos de públicos estão no contexto da

educação não-formal. As pessoas participam espontaneamente e têm oportunidade de conviver e viver experiências que inluenciam

sua formação como cidadãos e membros de uma comunidade. A educação não-formal não tem um currículo predeterminado e pode

ocorrer em diferentes tempos e espaços.

No Brasil, são inúmeras as ações desenvolvidas no contexto da educação não-formal. São ações sistemáticas que se caracterizam pela

valorização do sujeito e de sua experiência prévia no processo educativo e que alargam as possibilidades de crescimento pessoal e

proissional. São ações nas quais tanto o educador como os educandos ampliam seus conhecimentos e aprendem a conviver com

suas semelhanças e diferenças.

As atividades no contexto da educação não-formal envolvem diferentes áreas de conhecimento, como os esportes, o meio ambiente,

as ciências, as humanidades, a cultura e as artes.

Em 2005, na primeira edição do programa, foram identiicadas dezenas de experiências de educação não-formal desenvolvidas com

crianças e adolescentes em situação de risco por organizações e instituições da sociedade civil sem ins lucrativos e cooperativas.

Nesta  segunda edição do programa, pretende-se mapear e  valorizar experiências de educação não-formal  voltadas para os mais

diversos tipos de públicos – crianças, adolescentes,  jovens, adultos,  idosos, entre outros – desenvolvidas tanto por organizações da

sociedade civil como por museus e instituições culturais. As experiências devem estar dentro dos campos da cultura e da arte.

A arte propicia compreensão de aspectos da vida, dos relacionamentos e da realidade, sendo uma forma de conhecimento do mundo

imediato, concreto e  intuitivo. A utilização das  linguagens artísticas no processo educativo não-formal é uma prática freqüente em

organizações voltadas para ações de inclusão social, econômica e cultural, assim como em museus e instituições culturais.

Uma parcela signiicativa dos museus e das instituições culturais brasileiros desenvolve atividades educativas que valorizam as culturas

locais, regionais e/ou de um grupo especíico, propiciam a discussão e o respeito pela diversidade cultural e/ou ampliam o repertório

nas diversas linguagens artísticas. As ações educativas no campo da cultura e da arte realizadas em organizações, museus e instituições

culturais são criadas, coordenadas e executadas por educadores.

São esses proissionais, com formação diversa, que dão forma às idéias, constroem e aperfeiçoam as atividades educativas de forma

integrada com os participantes/educandos. Eles criam estratégias e metodologias especíicas para o público participante, de acordo

com o contexto em que estão inseridos e em harmonia com os referenciais culturais e as linguagens artísticas utilizadas. Os educadores

atuam como mediadores,  facilitadores, estimuladores, orientadores e parceiros na construção de experiências educativas que  são

signiicativas para sua formação cultural e de todos os participantes.

O programa Rumos Educação, Cultura e Arte 2008-2010 pretende mapear e valorizar os educadores e as experiências criadas e

colocadas em prática por eles no contexto da educação não-formal. As ações nesse contexto são fundamentais para a experimentação

na educação, a transformação pessoal e proissional dos participantes e o desenvolvimento sociocultural no Brasil.

1. Apresentação

Um número crescente de  instituições culturais, museus e organizações do terceiro setor  investe nas práticas educativas, culturais e

artísticas para o desenvolvimento humano e a  inserção  sociocultural dos mais diversos públicos  (crianças,  jovens, adultos,  idosos,

deicientes, entre outros).

A  segunda  edição  do  programa  Rumos  Educação,  Cultura  e  Arte  2008-2010  visa  dar  estímulo  a  educadores  que  estejam

desenvolvendo metodologias  e  estratégias  diferenciadas  no  contexto  da  educação  não-formal,  em  todo  o  país,  nos  campos  da

cultura e da arte. São trabalhos nos quais os educadores colocam em prática idéias, teorias e desejos que propiciam o crescimento

dos participantes – educador e educando – como cidadãos e membros de uma comunidade e do mundo.

 

Serão  selecionados  até  15  educadores de  forma  a  valorizar  seu  trabalho  e promover  a  experiência desenvolvida. Os  educadores

selecionados pelo programa participam de ações de formação e difusão, promovendo a socialização das experiências e a formação

de redes de colaboração.

Pretende-se, assim, contribuir para a continuidade e o aperfeiçoamento das ações já existentes e a criação de novas experiências de

educação não-formal.

2. Inscrições

A inscrição para o programa Rumos Educação, Cultura e Arte 2008-2010 é gratuita e individual (pessoa física).

2.1 Quem pode se inscrever?

A inscrição é restrita a educadores, com formação diversa, que atuem especiicamente na educação não-formal, no Brasil, e estejam

ligados a instituição ou organização que desenvolva projetos educativos fundamentados em propostas culturais e artísticas, conforme

item 3.3 deste regulamento.

2.2 Quando?

O período de inscrições será de 7 de abril a 7 de julho de 2008.

2.3 Como se inscrever?

Os candidatos deverão enviar pelo correio, em envelope identiicado, os seguintes documentos:

a)  ormulário de inscrição do educador com apresentação da experiência desenvolvida integralmente preenchido e assinado ormulário de inscrição do educador com apresentação da experiência desenvolvida integralmente preenchido e assinado

pelo proponente (educador). O formulário está disponível para impressão em http://www.itaucultural.org.br/rumos

b)  ormulário de autorização da organização ou instituição integralmente preenchido e assinado pelo responsável do órgão ao ormulário de autorização da organização ou instituição integralmente preenchido e assinado pelo responsável do órgão ao

qual o educador está ligado. O formulário está disponível para impressão em http://www.itaucultural.org.br/rumos

c)  Cópia simples do �� e do CP do educador. Cópia simples do �� e do CP do educador.

d)  Cópia simples do comprovante de residência do educador. Cópia simples do comprovante de residência do educador.

Os candidatos poderão enviar, se desejarem, materiais anexos seguindo os seguintes limites:

a)  egistros em audiovisual (��S, ���) de, no máximo, 15 minutos. egistros em audiovisual (��S, ���) de, no máximo, 15 minutos.

b)  egistros em áudio de, no máximo, dez minutos. egistros em áudio de, no máximo, dez minutos.

c)  egistros fotográicos de, no máximo, dez imagens impressas. egistros fotográicos de, no máximo, dez imagens impressas.

d)  Apresentação em PowerPoint ou equivalente de, no máximo, 30 slides (C). Apresentação em PowerPoint ou equivalente de, no máximo, 30 slides (C).

e)  ecortes de jornais e revistas, três no máximo. ecortes de jornais e revistas, três no máximo.

f )  olhetos e pequenas publicações, dois no máximo. olhetos e pequenas publicações, dois no máximo.

g)  ivro, um no máximo. ivro, um no máximo.

h)  Produtos resultantes das atividades desenvolvidas, dois exemplares no máximo. Produtos resultantes das atividades desenvolvidas, dois exemplares no máximo.

Todos os documentos devem ser encaminhados pelo correio – como correspondência registrada (ou Sedex) e Aviso de ecebimento

(A) – para o endereço abaixo:

INSTITUTO ITAÚ CULTURAL

A/C Rumos Educação, Cultura e Arte

Av. Paulista, 149 – 4º andar

Cerqueira César CEP 01311 000  São Paulo – SP

O material deve ser identiicado com o nome do proponente (educador), assinado e acompanhado pelos documentos exigidos.

A  data-limite  de  postagem  será  7  de  julho  de  2008.  Não  serão  aceitas  correspondências  postadas  após  essa  data,  nem

correspondências enviadas pela internet ou entregues diretamente na sede do Itaú Cultural.

A  falta ou  incorreção de  algum dos documentos  solicitados ou  a  inobservância de  algum dos  critérios estabelecidos  implicará  a

invalidação automática da inscrição.

 

3. Critérios de participação

Os critérios são requisitos obrigatórios para efetivação da inscrição do participante no programa Rumos Educação, Cultura e Arte

2008-2010.

3.1 Requisitos para participação do educador

a) Ser necessariamente maior de 18 anos até a data de inscrição.

b) Menores de 18 anos poderão inscrever-se somente se emancipados.

c) Ser brasileiro nato ou naturalizado.

d) Estar ligado, no momento da inscrição, à instituição ou organização onde a ação se desenvolve(u) como prestador de serviços,

CT, membro do quadro estatutário ou diretivo, estagiário ou servidor. Não serão aceitas inscrições de voluntários.

e) Somente será aceita inscrição individual do educador responsável pela experiência educativa, mesmo que ela seja desenvolvida

coletivamente.

3.2 Requisitos para inscrição da experiência

a)  As experiências devem caracterizar-se como ações de educação não-formal As experiências devem caracterizar-se como ações de educação não-formal tendo como base a arte e a cultura. Para ins

deste regulamento, é considerada educação não-formal toda atividade educativa que acontece fora do contexto escolar.

b)  Poderá ser apresentada apenas uma experiência por inscrição e cada educador poderá inscrever-se uma única vez, Poderá  ser  apresentada  apenas  uma  experiência  por  inscrição  e  cada  educador  poderá  inscrever-se  uma  única  vez,

impugnando-se todas as inscrições efetuadas na hipótese de não atendimento deste requisito.

c)  Poderá ser apresentada apenas uma experiência por instituição ou organização, que deverá ser apresentada uma única vez, Poderá ser apresentada apenas uma experiência por instituição ou organização, que deverá ser apresentada uma única vez,

sob pena de desclassiicação de todas as experiências a ela vinculadas quando não observado este item.

d)  A experiência apresentada deve estar em andamento até, pelo menos, de abril de 2008. A experiência apresentada deve estar em andamento até, pelo menos, de abril de 2008.

e)  A experiência inscrita deve ter a duração mínima de três meses. A experiência inscrita deve ter a duração mínima de três meses.

f )  Não serão aceitas, em nenhuma hipótese, experiências exclusivamente de eventos, shows e apresentações, concepção e Não serão aceitas, em nenhuma hipótese, experiências exclusivamente de eventos, shows e apresentações, concepção e

montagem de exposições, pesquisas e propostas de publicações.

g)  Não serão aceitas, em nenhuma hipótese, experiências com conteúdos religiosos ou políticos. Não serão aceitas, em nenhuma hipótese, experiências com conteúdos religiosos ou políticos.

h)  Não serão aceitas, em nenhuma hipótese, experiências que tenham como objetivo e/ou conteúdo preponderante ou Não  serão  aceitas,  em  nenhuma  hipótese,  experiências  que  tenham  como  objetivo  e/ou  conteúdo  preponderante  ou

exclusivo a educação ambiental e a educação para a saúde, o esporte, a ciência e a inclusão digital.

3.3 Requisitos para a organização ou instituição à qual o educador é vinculado

a) A instituição ou organização deve existir há, no mínimo, dois anos. Poderá ser solicitado o estatuto social ou documento de

constituição equivalente.

b) eve ser pública ou privada sem ins lucrativos, nacional e desenvolver projetos fundamentados em propostas educacionais,

culturais e artísticas.

c) Não ser partido político, sindicato ou entidade da administração direta, exceto como parceira da instituição proponente.

d) Não ser instituição de ensino regular fundamental, médio ou superior, exceto como parceira da instituição proponente.

e) eve ser uma instituição ou organização constituída legalmente, sem restrições legais de nenhuma ordem, e juridicamente:

           uma organização da sociedade civil sem ins lucrativos ou cooperativa;

           um museu ou uma instituição cultural pública da administração direta ou indireta;

           um museu ou uma instituição cultural privada sem ins lucrativos.

4. Impedimentos

É vedada a participação de educadores e organizações selecionados no programa Rumos Educação, Cultura e Arte 2005-2006.

É vedada a participação de funcionários e estagiários do Itaú Cultural e de seus cônjuges, companheiros, parentes até terceiro grau,

ains e dependentes.

uncionários do rupo Itaúsa ou pessoas que trabalhem em entidades relacionadas também estão impedidas de se inscrever.

Ex-funcionários e ex-estagiários poderão  inscrever-se  se estiverem desligados do  Itaú Cultural há, no mínimo, um ano da data da

publicação deste regulamento (abril de 2008).

icam também vedadas inscrições de cônjuges, companheiros, parentes até terceiro grau, inclusive ains e dependentes ligados aos

membros do Comitê de Seleção.

 

icam vedadas inscrições de experiências desenvolvidas nas organizações ou instituições às quais os membros do Comitê de Seleção

são vinculados.

A inscrição efetivada por quaisquer pessoas acima elencadas poderá ser impugnada em qualquer fase do concurso.

5. Seleção

A  seleção das  experiências  é de  responsabilidade  exclusiva do Comitê de  Seleção  e  é  coordenada pela  equipe organizadora do

Rumos Educação, Cultura e Arte 2008-2010.

O Comitê de Seleção será formado por técnicos, artistas e especialistas em educação, cultura e arte.

As  decisões  do  Comitê  de  Seleção  seguirão  o  regulamento  previamente  estipulado  e  serão  soberanas,  não  sendo  passíveis  de

questionamentos ou recursos.

5.1 Critérios de seleção

As decisões do Comitê de Seleção serão tomadas considerando todos os requisitos previstos neste regulamento.

O Comitê de Seleção irá selecionar as experiências apresentadas pelos educadores considerando os seguintes critérios:

           Modo de utilização das linguagens artísticas e referenciais culturais

           Criatividade das estratégias educativas

           Modos de planejamento, acompanhamento e avaliação

           Pertinência e adequação da experiência considerando o peril do público-alvo

           Adequação ao contexto em que a experiência está inserida

5.2 Selecionados

Serão contempladas até 15 experiências que  recebam as melhores avaliações entre os  trabalhos apresentados, de acordo com a

avaliação do Comitê de Seleção.

6. Premiação

A  premiação  Rumos  Educação,  Cultura  e Arte  2008-2010  compreende  um  conjunto  de  ações  de  formação  e  difusão  que

contribuam para a capacitação e o estabelecimento de rede de socialização e informação dos selecionados.

averá  também um prêmio em dinheiro  aos educadores  cujas experiências  tenham  sido  selecionadas  visando  contribuir para o

desenvolvimento de seus trabalhos.

  

Os educadores contemplados terão como premiação:

a)  Participação em ações de formação. Participação em ações de formação.

b)  ifusão de suas experiências em eventos de articulação com proissionais da área, promovidos pelo Itaú Cultural. ifusão de suas experiências em eventos de articulação com proissionais da área, promovidos pelo Itaú Cultural.

c)  ifusão de suas experiências em publicações editadas pelo Itaú Cultural. ifusão de suas experiências em publicações editadas pelo Itaú Cultural.

d)  Pagamento de prêmio no valor de �� 10 mil ao educador responsável. Pagamento de prêmio no valor de �� 10 mil ao educador responsável.

e)  iagem a localidades no Brasil a serem determinadas pelo Itaú Cultural com a inalidade de colaborar para que o educador iagem a localidades no Brasil a serem determinadas pelo Itaú Cultural com a inalidade de colaborar para que o educador

possa conhecer outros proissionais e experiências.

f )  iagem ao exterior para até três educadores selecionados, a im de que o educador possa conhecer outros proissionais e iagem ao exterior para até três educadores selecionados, a im de que o educador possa conhecer outros proissionais e

experiências.

Os prêmios em dinheiro serão entregues aos contemplados até o im do 1º semestre de 2009, em data a ser comunicada por carta.

Os prêmios são intransferíveis. Apenas os educadores contemplados poderão receber as premiações acima referidas, sendo vedada a

indicação pelo contemplado de substituto para recebê-las, ou a tentativa de reverter os prêmios para quaisquer outros destinatários

não contemplados, bem como não será permitida a troca de prêmios por algo diverso do previsto neste regulamento.

 

7. Divulgação dos resultados

A divulgação dos resultados será feira a partir de 10 de novembro de 2008 no site do Itaú Cultural: http://www.itaucultural.org.br/rumos.

Os selecionados receberão carta comunicando a premiação.

8. Deveres dos selecionados

Todo e qualquer  inscrito – caso selecionado – fica ciente e assume o compromisso perante o  Itaú Cultural de formalizar os termos

contratuais  necessários  para  que  o  instituto  possa  empreender  todas  as  ações  previstas  neste  programa;  do  contrário,  terá  sua

inscrição impugnada. Por isso, solicitamos a leitura atenta deste item.

O Itaú Cultural poderá divulgar todas as etapas deste programa através de qualquer mídia, inclusive internet.

esde  já,  o  selecionado  autoriza  o  Itaú  Cultural  a  registrar  e  utilizar  sua  imagem  na mídia  impressa,  internet  e  em materiais

institucionais,  exclusivamente  para  divulgação  do  programa  Rumos  Educação,  Cultura  e  Arte  e  de  seus  contemplados,

podendo o instituto, inclusive, autorizar que terceiros utilizem as imagens para a mesma finalidade. A utilização ora prevista não tem

limitação temporal ou numérica e é válida para o Brasil e o exterior, sem que seja devida nenhuma remuneração a este título.

Para viabilizar o recebimento do prêmio financeiro referido no item 6 deste regulamento, o selecionado deverá assinar um contrato

com o  Itaú Cultural, em que serão estipuladas as condições de recebimento da premiação, e, caso venha a ser selecionado para a

realização de viagem ao exterior, lhe será exigida a assinatura de novo contrato para concretizar a ação.

Constará do contrato a previsão de  licenciamento da experiência contemplada para uso exclusivamente na difusão do programa

Rumos Educação, Cultura e Arte e na divulgação em publicação a  ser produzida pelo  instituto  reunindo  todas as experiências

vencedoras, além de outros textos.

A  assinatura  de  contrato  exigirá  a  apresentação  prévia  dos  seguintes  documentos  (cópias  simples):  ��,  CP,  comprovante  de

residência e inscrição no INSS ou PIS/Pasep.

O  contemplado  responderá,  de  forma  exclusiva  e  integral,  por  eventuais  acusações  ou  reclamação  de  plágio  ou  violação  de

propriedade,  inclusive pela omissão de  informações, assegurando o  ressarcimento por prejuízos  sofridos pelo  Itaú Cultural a este

título.

Os contemplados  se comprometem a não divulgar  sem autorização do  Itaú Cultural quaisquer  informações, dados, documentos,

materiais ou marcas a que tenham acesso em decorrência da participação neste programa.

9. Outras informações

O Itaú Cultural não se responsabiliza pelos documentos originais recebidos.

Questões não previstas neste regulamento serão avaliadas pela equipe de organização do Rumos Educação, Cultura e Arte, do

Itaú Cultural.

O ato de inscrição implica automática e plena concordância com os termos deste regulamento.

O não cumprimento de qualquer um dos itens solicitados na inscrição desclassiica automaticamente o proponente.

Os documentos, formulários de inscrição e anexos recebidos não serão devolvidos em nenhuma hipótese.

Quaisquer dúvidas podem ser esclarecidas em http://www.itaucultural.org.br ou pelo e-mail rumoseducacao@itaucultural.org.br.

 

Banco do Brasil abre inscrições para projetos culturais e anuncia que ampliará atuação cultural no País

Filed under: Sem-categoria — AlexâniAlexy___City Vlogcasting TV. @ 1:38 pm

 

 

 

Banco do Brasil abre inscrições para projetos culturais

 

Banco do Brasil abre inscrições para projetos culturais e anuncia que ampliará atuação cultural no País O

Banco do Brasil abre inscrições para programação 2009 e anuncia

conjunto de ações para ampliar sua atuação cultural no País. Os

projetos selecionados irão compor a grade de programação dos Centros

Culturais do Banco do Brasil no Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília, e

também do Centro Cultural Banco do Brasil Itinerante – programa que vai

visitar as principais capitais brasileiras, levando exposições, artes

cênicas e eventos nas áreas de música, cinema, vídeo, programa

educativo e idéias.

 

As inscrições para projetos vão de 12 de

maio a 12 de junho e estão abertas a pessoas físicas e jurídicas, de

qualquer nacionalidade e região do País. Serão feitas exclusivamente

pela internet, pelo site www.bb.com.br/cultura.

O BB foi a primeira empresa a receber inscrições para projetos pela

internet e, este ano, torna o processo ainda mais transparente com a

publicação do edital de inscrições no Diário Oficial da União.

 

Seminários – A estratégia de levar às capitais brasileiras mostras das programações

do CCBB se insere na celebração dos 200 anos do Banco do Brasil, mas

também é uma importante iniciativa para valorizar as manifestações

culturais fora do eixo Rio-São Paulo e prestigiar a classe artística

regional e local. O Banco do Brasil, além do formato do CCBB

Itinerante, também vai incentivar as inscrições de projetos de diversos

locais do país. Em 2008, serão realizados 23 Seminários Culturais, a

fim de divulgar a atuação cultural do Banco do Brasil e capacitar

produtores, artistas e interessados para o processo de inscrição de

projetos.

 

Segundo a diretora de Marketing e Comunicação do

Banco do Brasil, Jussara Silveira, o objetivo do BB, com os seminários

e itinerâncias, é diversificar os investimentos em cultura e

incentivar a participação de artistas e produtores das várias regiões

do país.

 

Neste ano, serão realizadas 48 etapas do CCBB

Itinerante, sendo que algumas capitais receberão mais de uma edição do

evento. As cidades de Manaus, Cuiabá, Belo Horizonte, Recife,

Fortaleza e Porto Alegre já receberam eventos do CCBB itinerante.

 

Inscrições 2008 –

A seleção dos projetos inscritos para a grade de programação dos

Centros Culturais será feita pelo Banco do Brasil e por representantes

nas diversas áreas da cultura, e mercado cultural. Os critérios

observados na seleção dos projetos são: relevância temática, ou seja,

importância histórica, cultural e artística; viabilidade técnica,

originalidade e ineditismo da proposta; compatibilidade com os preços

praticados pelo mercado e identidade com os princípios e valores do

Banco do Brasil.

 

Em 2008, concorreram à programação dos três

CCBB mais de 3,5 mil projetos. Após análise de equipe técnica, foram

selecionados 131 projetos para compor a programação cultural deste ano

com destaque para “LUSA – Matriz Portuguesa”, exposição que reconstitui

a história de Portugal desde a pré-história até 1500; e para a

exposição “Nippon-100 Anos de Integração Brasil-Japão”, que comemora o

centenário da imigração japonesa, desde os seus aspectos mias

tradicionais até o mundo contemporâneo. Há, ainda, a peça teatral “Não

Sobre o Amor” com o diretor Felipe Hirsch, inspirada no texto de

“Letters not about love”.

 

Em 2007, os três CCBB receberam 4,4

milhões de pessoas. Este ano, um milhão de visitantes já passou pelos

Centros Culturais Banco do Brasil.

Patrocínios – Outra novidade este ano é que o BB receberá propostas para patrocínios exclusivamente pelo portal www.bb.com.br na internet. As inscrições para patrocínio abrem dia 12 de maio e vão

até 31 de julho. No portal BB já estão publicadas informações sobre

prazos, documentação, critérios de seleção e divulgação dos resultados.

O objetivo é possibilitar que os interessados possam se programar para

apresentar seus projetos.

 

Entre os critérios observados pelo BB

na seleção dos projetos patrocinados estão o apoio à atuação

mercadológica e negocial do Banco (nos segmentos de agronegócios, micro

e pequena empresa, comércio exterior, seguridade, setor público, entre

outros), e o respeito aos princípios de responsabilidade socioambiental

e de sustentabilidade.

 

A análise dos projetos é realizada por

corpo multidisciplinar formado por funcionários do Banco do Brasil,

profissionais da área de comunicação e negócios, além de equipe técnica

especializada em cultura, esporte e meio ambiente. A seleção dos

projetos está prevista para 30 de novembro e os resultados publicados

no portal www.bb.com.br em 10 de dezembro.

 

Banco do Brasil abre inscrições para projetos culturais e anuncia que ampliará atuação cultural no País

 

O Banco do Brasil abre inscrições para programação 2009 e anuncia conjunto de ações para ampliar sua atuação cultural no País. Os projetos selecionados irão compor a grade de programação dos Centros Culturais do Banco do Brasil no Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília, e também do Centro Cultural Banco do Brasil Itinerante – programa que vai visitar as principais capitais brasileiras, levando exposições, artes cênicas e eventos nas áreas de música, cinema, vídeo, programa educativo e idéias.

As inscrições para projetos vão de 12 de maio a 12 de junho e estão abertas a pessoas físicas e jurídicas, de qualquer nacionalidade e região do País. Serão feitas exclusivamente pela internet, pelo site www.bb.com.br/cultura. O BB foi a primeira empresa a receber inscrições para projetos pela internet e, este ano, torna o processo ainda mais transparente com a publicação do edital de inscrições no Diário Oficial da União.

Seminários – A estratégia de levar às capitais brasileiras mostras das programações do CCBB se insere na celebração dos 200 anos do Banco do Brasil, mas também é uma  importante iniciativa para valorizar as manifestações culturais fora do eixo Rio-São Paulo e prestigiar a classe artística regional e local.  O Banco do Brasil, além do formato do CCBB Itinerante, também vai incentivar as inscrições de projetos de diversos locais do país. Em 2008,  serão realizados 23 Seminários Culturais, a fim de divulgar a atuação cultural do Banco do Brasil e capacitar produtores, artistas e interessados para o processo de inscrição de projetos. 

Segundo a diretora de Marketing e Comunicação do Banco do Brasil, Jussara Silveira, o objetivo do BB, com os seminários e  itinerâncias, é diversificar os investimentos em cultura e  incentivar a participação de artistas e produtores das várias regiões do país.

Neste ano, serão realizadas 48 etapas do CCBB Itinerante, sendo que algumas capitais receberão mais de uma edição do evento. As cidades de Manaus, Cuiabá, Belo Horizonte, Recife,  Fortaleza e Porto Alegre já receberam eventos do CCBB itinerante.

Inscrições 2008 –  A seleção dos projetos inscritos para a grade de programação dos Centros Culturais será feita pelo Banco do Brasil e por representantes nas diversas áreas da cultura, e mercado cultural. Os critérios observados na seleção dos projetos são: relevância temática, ou seja, importância histórica, cultural e artística; viabilidade técnica, originalidade e ineditismo da proposta; compatibilidade com os preços praticados pelo mercado e identidade com os princípios e valores do Banco do Brasil.

Em 2008, concorreram à programação dos três CCBB mais de 3,5 mil projetos. Após análise de equipe técnica, foram selecionados 131 projetos para compor a programação cultural deste ano com destaque para “LUSA – Matriz Portuguesa”, exposição que reconstitui a história de Portugal desde a pré-história até 1500; e para a exposição “Nippon-100 Anos de Integração Brasil-Japão”, que comemora o centenário da imigração japonesa, desde os seus aspectos mias tradicionais até o mundo contemporâneo. Há, ainda, a peça teatral “Não Sobre o Amor” com o diretor Felipe Hirsch, inspirada no texto de “Letters not about love”.

Em 2007, os três CCBB receberam 4,4 milhões de pessoas. Este ano, um milhão de visitantes já passou pelos Centros Culturais Banco do Brasil.
Patrocínios – Outra novidade este ano é que o  BB receberá propostas para patrocínios exclusivamente pelo portal www.bb.com.br na internet. As inscrições para patrocínio abrem dia 12 de maio e vão até 31 de julho. No portal BB já estão publicadas informações sobre prazos, documentação, critérios de seleção e divulgação dos resultados. O objetivo é possibilitar que os interessados possam se programar para apresentar seus projetos.

Entre os critérios observados pelo BB na seleção dos projetos patrocinados estão o apoio à atuação mercadológica e negocial do Banco (nos segmentos de agronegócios, micro e pequena empresa, comércio exterior, seguridade, setor público, entre outros), e o respeito aos princípios de responsabilidade socioambiental e de sustentabilidade.

A análise dos projetos é realizada por corpo multidisciplinar formado por funcionários do Banco do Brasil, profissionais da área de comunicação e negócios, além de equipe técnica especializada em cultura, esporte e meio ambiente. A seleção dos projetos está prevista para 30 de novembro e os resultados publicados no portal www.bb.com.br em 10 de dezembro.

 

 

 

Recomeçar _ Carlos Drummond de Andrade

Filed under: Sem-categoria — AlexâniAlexy___City Vlogcasting TV. @ 1:30 am

Carlos Drummond de Andrade

CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE

ACORDO LATINO-AMERICANO DE CO-PRODUÇÃO CINEMATOGRÁFICA

Filed under: Sem-categoria — AlexâniAlexy___City Vlogcasting TV. @ 12:38 am
  Conferencia de Autoridades Cinematográficas de Iberoamérica- CACI  
ACORDO LATINO-AMERICANO DE CO-PRODUÇÃO CINEMATOGRÁFICA
  Os Estados signatários do presente Acordo, Membros do Convênio de Integração Cinematográfica Ibero-americana,

  • Conscientes de que a atividade cinematográfica deve contribuir ao desenvolvimento cultural da região e à sua identidade;
  • Convencidos da necessidade de propulsar o desenvolvimento cinematográfico e audiovisual da região e de forma especial o dos países com infra-estrutura insuficiente;
  • Com o propósito de contribuir ao desenvolvimento efetivo da comunidade cinematográfica dos Estados Membros;

    Acordaram o seguinte:

 
   
ARTIGO I
 
      Para os fins do presente Acordo considera-se obra cinematográfica aquela que possui um caráter audiovisual, registrada, produzida e difundida por qualquer sistema, processo ou tecnologia, destinada à sua exploração comercial.
 
   
   
ARTIGO II
 
      As partes entendem por “obras cinematográficas em co-produção” aquelas que são realizadas em qualquer meio e formato, com qualquer duração, por dois ou mais produtores de dois ou mais países Membros do presente Acordo, sobre a base de um contrato de co-produção estipulado para o efeito entre as empresas co-produtoras de acordo com as disposições do presente Acordo, e devidamente registrado perante as autoridades competentes de cada país.    
   
ARTIGO III
 
      As obras cinematográficas realizadas em co-produção de acordo com o previsto neste Acordo serão consideradas como nacionais pelas autoridades competentes de cada país co-produtor, e gozarão com pleno direito das vantagens que resultem das disposições relativas à indústria cinematográfica que estiverem em vigor ou que puderem vir a ser promulgadas em cada país. Estas vantagens serão outorgadas somente ao produtor do país ao qual elas sejam concedidas.

Não obstante, as autoridades competentes poderão limitar as vantagens estabelecidas nas disposições vigentes ou futuras do país que as conceda, no caso das co-produções financeiras ou nas produções cuja participação financeira não for proporcional às participações técnicas e artísticas. Tal limitação deverá ser comunicada ao co-produtor interessado no momento em que o projeto de co-produção for aprovado.

   
   
ARTIGO IV
 
      Para gozar dos benefícios do presente Acordo, os co-produtores deverão cumprir com os requisitos estabelecidos segundo as Normas de Procedimento, que constam no Anexo “A” do presente Acordo e que são consideradas como parte do mesmo.    
   
ARTIGO V
 
         
   
1.
      Na co-produção das obras cinematográficas a proporção das respectivas participações de cada um dos co-produtores poderá variar entre vinte (20) e oitenta por cento (80%) por filme.

As participações dos co-produtores minoritários e membros devem incluir de forma obrigatória uma participação técnica e artística efetiva. A contribuição de cada país co-produtor em pessoal criador, em técnicos e em atores, deve ser proporcional a sua inversão. De forma excepcional poderão ser admitidas derrogações acordadas pelas autoridades competentes de cada país membro

Em princípio, a contribuição de cada país incluirá, pelo menos, um elemento considerado criativo, um ator ou uma atriz no papel principal, um ator ou uma atriz no papel secundário e um técnico qualificado. O ator ou a atriz protagonista poderá ser substituído(a) por dois técnicos qualificados.

   
   
2.
      Entende-se por pessoal criativo as pessoas que tenham a qualidade de autor (autores, roteiristas e/ou adaptadores, diretores, compositores), assim como o montador chefe, o diretor de fotografia, o diretor artístico e o chefe de som. A contribuição de cada um destes elementos criativos será considerada individualmente.    
   
3.
      As obras cinematográficas realizadas sob este Acordo não poderão ter uma participação superior a trinta por cento (30%) dos países não membros e o co-produtor majoritário deverá ser necessariamente de um dos países membros.    
   
4.
      Caso as co-produções forem multilaterais e que nelas um ou mais co-produtores cooperem artística e tecnicamente, sendo que o outro ou os outros somente participem financeiramente, a porcentagem da contribuição deste último não poderá ser inferior a dez por cento (10%), nem superior a vinte e cinco por cento (25%) do custo total da produção.

Dentro de uma co-produção na qual participem mais de dois co-produtores, a contribuição menor dos países membros não poderá ser inferior a dez por cento (10%) porcentual, e a maior não poderá exceder o setenta por cento (70%) do custo total da produção.

   
   
ARTIGO VI
 
      As partes comprometem-se a:

  • Que as obras cinematográficas em co-produção, de acordo com o Artigo I do presente Acordo, sejam realizadas com profissionais nacionais ou residentes dos Estados Membros.
  • Que os Diretores de tais co-produções sejam nacionais ou residentes dos Estados Membros ou da América Latina, do Caribe ou demais países de língua hispana ou portuguesa.
  • Que as co-produções realizadas sob o presente Acordo respeitem a identidade cultural de cada país co-produtor, podendo as mesmas ser faladas em qualquer língua da região.
   
   
ARTIGO VII
 
           
   
1.
      A revelação do negativo nos processos de pós-produção será realizada em qualquer um dos estados Membros ou co-produtores. De maneira excepcional e com prévio acordo dos co-produtores, esta poderá ser realizado em outros países.    
   
2.
      A impressão ou reprodução das cópias será efetuada respeitando a legislação vigente em cada país.    
   
3.
      Cada co-produtor terá o direito aos contratipos, duplicados e cópias que solicitar.    
   
4.
      O co-produtor majoritário será o encarregado da custódia dos originais de imagem e som, salvo que o contrato de co-produção especifique outras modalidades.    
   
5.
      Os contratipos, duplicados e cópias, às quais este artigo se refere, poderão ser realizados por qualquer método existente.    
   
6.
      Quando a co-produção for realizada entre países de língua diferente, existirão as versões que os co-produtores acordem, conforme a legislação vigente em cada país.    
   
ARTIGO VIII
 
      Em princípio, cada país co-produtor se reservará os benefícios da exploração em seu próprio território. Qualquer outra modalidade contratual precisará da aprovação prévia das autoridades competentes de cada país co-produtor.    
   
ARTIGO IX
 
      Na contrato ao qual o Artigo 1 se refere, serão estabelecidas as condições relativas à partilha dos mercados entre os co-produtores, mercadejo, áreas, responsabilidades, despesas, comissões, rendas e outras condições que sejam consideradas necessárias.    
   
ARTIGO X
 
      Será promovida com especial interesse a realização de obras cinematográficas de especial valor artístico e cultural entre empresas produtoras dos Estados Membros deste Acordo.    
   
ARTIGO XI
 
         
   
1.
      Os créditos ou títulos de obras cinematográficas realizadas sob o presente Acordo deverão indicar, em quadro separado, o caráter da co-produção da mesma e o nome dos países participantes.    
   
2.
      Salvo se os co-produtores o decidirem de outra forma, as obras cinematográficas realizadas em co-produção serão apresentadas em Festivais Internacionais pelo país do co-produtor majoritário ou, no caso de contribuições igualitárias, pelo país onde o director for residente.    
   
3.
      Os prêmios, subvenções, incentivos e demais benefícios econômicos, que forem concedidos às obras cinematográficas, poderão ser compartilhados entre os co-produtores, de acordo com o estabelecido no contrato de co-produção e com a legislação vigente em cada país.    
   
4.
      Todos os prêmios que não forem em dinheiro, ou seja, distinção honorífica ou troféu concedido por terceiros países às obras cinematográficas realizadas segundo as normas estabelecidas por este Acordo, serão conservados em depósito pelo co-produtor majoritário, ou de acordo com o que estiver estabelecido no contrato de co-produção.    
   
ARTIGO XII
 
      No caso de que uma obra cinematográfica, realizada em co-produção, seja exportada a um país onde as importações de obras cinematográficas estão sujeitas a quotas:

  • A obra cinematográfica será atribuída, em princípio, à quota do país cuja contribuição for majoritária.
  • No caso de serem obras cinematográficas que tenham uma contribuição igualitária entre os países, a obra cinematográfica será atribuída à quota do país que tiver as melhores possibilidades de exportação.
  • Caso houver dificuldades, a obra cinematográfica será atribuída à quota do país co-produtor do qual o director for residente.
  • Se um ou dois países co-produtores dispõe da livre entrada das suas obras cinematográficas no país importador, os filmes realizados em co-produção serão apresentadas como nacionais por esse país co-produtor para gozar do correspondente benefício.
   
   
ARTIGO XIII
 
      As Partes concederão facilidades para a circulação e permanência em seu território do pessoal artístico e técnico que participe nas obras cinematográficas realizadas em co-produção, de acordo com o presente Acordo. Da mesma forma, serão concedidas facilidades para a importação e exportação temporal, nos países co-produtores, do material necessário para a realização das co-produções, de acordo com a normativa vigente em cada país.    
   
ARTIGO XIV
 
         
   
1.
      A transferência de divisas gerada pelo cumprimento do contrato de co-produção será realizada de acordo com a legislação vigente em cada país.    
   
2.
      Além da especificação dos modos de pagamento e das distribuições da receita, poderá ser acordado qualquer sistema de utilização ou intercâmbio de serviços, materiais e produtos, que sejam da conveniência dos co-produtores.    
   
ARTIGO XV
 
         
   
1.
      À exceção das disposições anteriores ao presente Acordo, podem ser admitidos como projetos de co-produções financeiras composta de duas partes, aqueles projetos que reunirem as seguintes condições:

  • Ter uma qualidade técnica e um valor artísticos reconhecidos; estas características deverão ser constatadas pelas autoridades competentes.
  • Ter de um custo igual ou superior ao montante determinado pelas autoridades cinematográficas de cada país no seu devido momento.
  • Admitir uma participação minoritária que poderá estar limitada ao âmbito financeiro, conforme o contrato de co-produção, desde que a mesma não seja inferior a 10% (dez por cento), nem superior a 25% (vinte e cinco por cento). De maneira excepcional, as autoridades competentes poderão aprovar porcentagens de participação financeira superiores a que foi citada.
  • Reunir as condições estipuladas para a concessão da nacionalidade pela legislação vigente do país majoritário.
  • Incluir no contrato de co-produção disposições relacionadas com a partilha da receita.
   
   
2.
      O benefício da co-produção com a participação de duas partes somente será concedida a cada obras depois da obtida a autorização, que será dada caso por caso, pelas autoridades competentes.    
   
3.
      Nestes casos, o benefício da co-produção somente será efectivado no país de onde o co-produtor minoritário é originário, quando um novo filme de participação majoritária desse país tenha sido admitido pelas autoridades competentes para se beneficiar da condição de co-produção, de acordo com os termos do presente Acordo.

As participações financeiras, efetuadas por uma e outra parte, deverão estar, no conjunto desses filmes, globalmente equilibradas num prazo de quatro anos.

   
   
ARTIGO XVI
 
      O presente Acordo […] será renovado por recondução tácita por períodos sucessivos de igual duração, salvo manifestação contrária de qualquer das Partes, notificada por via diplomática à SECI com pelo menos ¿três meses? de antecedência à data de renovação.    
   
ARTIGO XVII
 
      O presente Acordo ficará aberto à adesão dos Estados Ibero-americanos que façam parte do Convênio de Integração Cinematográfica Ibero-americana. A adesão será efetuada através do depósito do respectivo instrumento perante a SECI.    
   
ARTIGO XVIII
 
      Cada uma das partes poderá denunciar em qualquer momento o presente Convênio, mediante a notificação escrita à SECI. Esta denúncia surtirá efeito para a Parte interessada um (1) ano, depois da data na qual a notificação tenha sido recebida pela SECI e com o prévio cumprimento das obrigações contraídas através deste Acordo pelo país denunciante.    
   
ARTIGO XIX
 
      A Secretaria Executiva da Cinematografia Ibero-americana (SECI) terá como função velar pela execução do presente Acordo, examinar as dúvidas e controvérsias que surgirem devido a sua aplicação, em casos de conflito, ela também deverá ser mediadora.    
   
ARTIGO XX
 
      Poderão ser propostas modificações ao presente Acordo por vontade de um ou de vários Estados Membros, isto através da SECI, tais propostas serão analisadas pela Conferência das Autoridades Cinematográficas de Ibero-américa (CACI) e aprovadas por via diplomática.    
  Dando fé, os abaixo assinantes, devidamente autorizados para este fim pelos seus Governos, subscrevem o presente Acordo, em um exemplar original em espanhol e outro em português, cujos textos são igualmente autênticos.

Feito em Madrid no dia 20 de junho do ano dois mil:

 
 
::::::::::::::: NORMAS DE PROCEDIMENTO PARA A EXECUÇÃO: :::::::::::::::
  Para a aplicação do Acordo Latino-americano de Co-produção Cinematográfica estabelecem-se as seguintes Normas:

  1. Os requerimentos de admissão de co-produção cinematográfica estipulados por este Acordo, assim como uma cópia do contrato da correspondente co-produção. Ambos serão depositados simultaneamente perante as autoridades competentes dos países co-produtores pelo menos quarenta (40) dias antes do início da filmagem. Uma cópia dos mencionados documentos será depositada na SECI.
  2. Tais requerimentos deverão estar acompanhados com a seguinte documentação no idioma do país correspondente:
    2.1   Documentos que certifiquem a propriedade legal dos direitos de autor da obra que será realizada.
    2.2   Roteiro e sinopse.
    2.3   Cópia do contrato de co-produção indicando:

    a)   Título da co-produção;
    b)   Identificação dos produtores contratantes;
    c)   Identificação do autor do roteiro ou do adaptador, se a obra foi extraída de uma fonte literária;
    d)   Identificação do diretor, nacionalidade e residência. É permitida uma cláusula de substituição para prevenir a mudança de diretor, caso fosse necessário;
    e)   Orçamento por rubrica, na moeda determinada pelos co-produtores, nele deve constar a porcentagem de participação de cada produtor, e deverá estar acorde com a avaliação financeira das respectivas participações técnicas e artísticas, também devem constar, de forma detalhada, as despesas realizadas em cada país;
    f)   Plano financeiro, incluindo o montante, as características e a origem das participações de cada co-produtor;
    g)   Cláusula onde esteja estabelecida a Distribuição das arrecadações e partilha dos mercados, meios, ou uma combinação dos mesmos;
    h)   Data do início das filmagens e da sua conclusão;
    i)   Cláusula na qual estejam especificadas de forma detalhada as respectivas participações dos co-produtores com as despesas necessárias superiores ou inferiores ao orçamento, em princípio estas serão proporcionais às suas respectivas contribuições;
    j)   Cláusula onde estejam especificadas as medidas que devem ser adotadas caso uma das partes não cumpra com os seus compromissos, ou se as autoridades competentes de qualquer países negarem a concessão dos benefícios solicitados;
    k)   Cláusula onde esteja prevista a partilha da prioridade dos direitos de autor, sobre uma base proporcional às respectivas contribuições dos co-produtores;
  3. Lista da equipe artística e técnica, indicando a nacionalidade e a categoria do trabalho de cada um deles, no caso dos artistas, deve constar a nacionalidade, assim como o papel que cada um vai interpretar, indicando a categoria e a duração dos mesmos.
  4. Programação da produção, indicando localizações e plano de trabalho.
  5. A substituição de um co-produtor somente será permitida em casos excepcionais, mediante a prévia notificação às autoridades competentes dos países co-produtores e à SECI.
  6. As modificações eventualmente introduzidas no contrato original deverão ser notificadas às autoridades competentes de cada país co-produtor e à SECI.

Una vez finalizada a co-produção, as respectivas autoridades governamentais deverão proceder à verificação dos documentos com o fim de constatar o cumprimento das condições deste Acordo, das Regulamentações correspondentes e do respectivo contrato. Uma vez feito isto, poderão proceder a outorgar o Certificado da Nacionalidade.

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.